Ultimas Notícias

recent

Guerra a Vista: Irã fechando cada vez mais o cerco contra Israel?

20 de outubro de 2017 - 19:30:12



De acordo com acontecimentos poucos divulgados, o Irã vem avançando no seu plano de cercar Israel em varias frentes de combates.


O texto foi retirado do site DEBKAfile e o Conflitos e Guerras resolveu compartilhar com vocês os fatos que demonstram um grande plano que pode ser catastrofístico no Oriente Médio.

Apos a visita do vice-líder do Hamas, Saleh Arouri a Teerã, o Irã prosseguiu com seus planos nesta semana de cercar israel independentemente das ameaças destinadas a Teerã por parte de Jerusalém e Washington.

[post_ad]Na sexta-feira, (20) de outubro, menos de duas semanas depois de Saleh Arouri aprovar um acordo de reconciliação patrocinado pelo Egito entre seu partido e o rival Fatah, ele liderou uma grande delegação do Hamas a Teerã.

Na terça-feira, (17) de outubro, o gabinete de segurança de Israel estabeleceu condições para o reconhecimento do acordo de unidade palestina, incluindo o reconhecimento do Hamas por Israel. Os pontos a serem considerados, previa o desarmamento e a separação de seus laços com o Irã.

Na quinta-feira (19), o enviado do Oriente Médio aos EUA, Jason Greenblatt, emitiu uma declaração em apoio a posição de Israel.

Mas antes de partir para Cairo, Arouri fez questão de declarar que o Hamas nunca reconheceria Israel como um estado independente, não desistiria da sua "resistência armada", não dissolveria sua ala armada ou entregaria suas armas.

Em seu relatório com a participação dos seus apoiadores em Teerã sobre as conversas da unidade palestina realizado em Cairo, acabou em uma serie de eventos seguidos ao longo da semana, onde se viu o Irã, articulando inúmeras ações iranianas a fim de colocar mais tensão no Oriente Médio.

  • 1 - A cidade petrolífera do norte de Iraque, Kirkuk, foi capturada com quase nenhuma resistência do Curdistão pelo exército iraquiano, liderado por milícias xi iranianas pró-iranianas e centenas de soldados do Corpo Revolucionário da Guarda Iraniana (IRGC) disfarçados nos uniformes militares iraquianos. Esses campos de petróleo eram uma fonte primária do petróleo de Israel.

  • 2 - A derrota dos curdos foi tão devastadora que os lutadores do Peshmerga também se retiraram de partes de Ninewa, Salah al Din, Diyala, Mosul e Sinjar.

    A escala desta calamidade não foi divulgada ao público nos EUA ou em Israel, porque o que isso significa é que o IRGC agora está no controle não apenas do principal centro de petróleo de Kirkuk e seus campos de petróleo na região, mas também de grandes instalações no leste e norte do Iraque, bem como a fronteira norte com a Síria.

    O Irã agora tem uso completo e exclusivo de um corredor aberto em todo o Iraque para a Síria.

  • 3 - Embora o ministro da Defesa da Rússia, Sergey Shoigu, tenha feito uma visita oficial de dois dias a Israel, o primeiro desde a sua nomeação há cinco anos, um evento que normalmente classificaria a melhor publicidade, passou sem um comunicado conjunto, ou qualquer palavra sobre o tópicos que discutiram, suas áreas de acordo ou discórdia, ou até mesmo um aviso de sua partida.

    O que ocorreu na reunião, foi uma discórdia tão profunda registrada nas conversações do general com líderes israelenses, ou Moscou estava com dificuldades para contactá-las?

  • 4 - Na segunda-feira, 16 de outubro, uma bateria anti-aérea síria SA-5 a 50 km a leste de Damasco, disparou um míssil terrestre contra aviões de reconhecimento israelenses sobre o Líbano. Um ataque aéreo israelense, em seguida, destruiu a bateria.

  • 5 - Terça-feira, o chefe de gabinete iraniano, o major-general Mohammad Bagheri, fez uma viagem não programada a Damasco depois do ocorrido. Sua visita de três dias enviou um sinal de que Teerã ficou extremamente indignado com Israel pelo incidente em Damasco.

  • 6 - Na quarta-feira, o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu conversou por telefone com o presidente russo Vladimir Putin. O Kremlin anunciou que eles discutiram sobre a guerra na Síria, o programa nuclear do Irã e a situação no Curdistão.

    A discussão terminou com a ausência de quaisquer mudanças na Síria ou no Iraque na sequência, o que pode-se presumir um termino tão inconclusivamente quanto a visita de Shogu.

  • 7 - Na quinta-feira, o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, sentou-se em Washington com o secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis e o conselheiro de segurança nacional, o general H. R McMaster.

    Antes de sua partida, ele anunciou que um adicional de quatro bilhões de shekels (US $ 1,1 bilhão) deveria ser adicionado ao orçamento de defesa do país para a aquisição de "tecnologias mais avançadas" na intenção de enfrentar a crescente ameaça iraniana.

    Ninguém detalhou a natureza desta tecnologia de alto custo e nem foi comentado por parte de Washington ou Jerusalém.

  • 8 - Mais tarde, na quinta-feira, os tanques da IDF dispararam contra uma bateria de artilharia síria perto de Quneitra depois que um míssil caiu sobre os combates sírios e explodiu no norte do Golã.

Esse incidente revelou, de acordo com as fontes militares do DEBKAfile, que o míssil veio de Beit Jinn, que fica em frente aos postos avançados de Israel no Monte Hermon. 

Em outras palavras, o exército sírio e seu aliado o Hezbollah, entraram em um setor militar adicional que os aproximaram mais do que nunca da fronteira israelense e do norte do Golã.

Podemos concluir dizendo que há um plano bem cabuloso na região onde pode trazer para a guerra, Israel e Irã. 

Os líderes israelenses e os porta-vozes militares vem declarando a cada dia que o Irã está entrincheirando seu soldados e seus proxies perto de suas fronteiras e que isso é "inaceitável".

Não sabe-se ao certo o que Israel pretende fazer para conter seu avanço constante.

Uma serie de duvida sobre o que está por vir no Oriente Médio ficou no ar. Quais são as reais intenções do Hamas, quando Arouri sentou-se em Teerã com autoridades iranianas?

Uma outra situação em destaque, fica por parte do conflito no Curdistão, mais precisamente em Kirkuk no Iraque, onde o governo do Curdistão Iraquiano, declarou ter feito um referendo para proclamar a independência da região que fora fortemente apoiada por Israel.

Vale ressaltar que os EUA estão prontos para implantar a unidade das forças especiais da 3º do AirBorne no Oriente Médio. muito se questiona sobre o real objetivo dessa atitude por parte de Washington.

Essa divisão geralmente é empregada em missões especiais de guerra, apesar da suas ultimas missões terem sido em operações antiterroristas.

Será que estamos próximos de presenciar uma nova frente de guerra no Oriente Médio, sendo ela contra Israel vinda da Faixa de Gaza?

Fonte: DEBKAfile / Analise final Conflitos e Guerras
Guerra a Vista: Irã fechando cada vez mais o cerco contra Israel? Reviewed by Conflitos Guerras on 19:49:00 Rating: 5

2 comentários:

  1. Excelente artigo!
    Parabéns.
    Como faço pra postar no facebook?

    ResponderExcluir
  2. Desculpa a demora amigo.

    Temos uma pagina no facebook onde replicamos as noticias do blog. lá voce podera compartilhar nossas matérias.

    https://www.facebook.com/ConflitosGuerras/

    Agradecemos

    ResponderExcluir

All Rights Reserved by Conflitos e Guerras © 2014 - 2016
Designed by SoSothemes

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.