Ultimas Notícias

recent

Rússia adverte Turquia sobre ações na Síria.

18 de fevereiro de 2016 - 22:23:45



Desde o fim de semana, a Turquia usou os seus 155 milímetros de armas pesadas através da fronteira com a Síria, para atacar alvos das forças curdas, cujo o avanço recente é parte fundamental para os  planos russo de estender o controle do presidente Bashar al-Assad da Síria.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan na quarta-feira, se recusou a parar o bombardeio e disse que a Turquia estava agindo em legítima defesa.

A guerra que dura mais de cinco anos da Síria, se transformou em um emaranhado de conflitos proxy entre as potências mundiais e regionais, com um risco crescente de que alguns deles possam colidir diretamente.

Neste momento, o ponto de inflamação mais perigoso é entre a Rússia e a Turquia, membro da OTAN e que derrubou um avião russo em novembro.

Desde então, as tensões vêm elevando por causa da aliança Assad-Rússia e curdos, que ameaçam cercar os rebeldes turcos, localizada em Aleppo, maior cidade da Síria.

"Tanto a Rússia quando a Turquia, estão de olho em uma posição de vantagem estratégica", informou Tim Ash, diretor de estratégia de mercados emergentes da Nomura em Londres,

"O risco de um confronto militar russo-turca é real, e que ameaça atrair NATO", complementou Ash.
A ironia é que mesmo a Turquia enfrentando um inimigo NATO, a Rússia, suas políticas externas o colocam em desacordo com os líderes da coalizão ocidental.

Os EUA compartilham o desejo da Turquia de deter o avanço Assad, brecar as intenções russas no país. Mas quanto ao assunto dos curdos na Síria, há uma diferença bem acentuada.

Turquia diz que a principal unidade de combate curda, o YPG, é um grupo terrorista que está em aliança com militantes do PKK que busca autonomia dentro da Turquia. Os EUA veem os curdos sírios como um aliado contra o Estado islâmico. 

Duas semanas antes da Turquia começarem bombardeara-los, o enviado do presidente Barack Obama para a coligação contra o Estado islâmico, Brett McGurk, visitou lutadores da YPG na Síria para felicitá-los.

Turquia disse que seus ataques contra os curdos foram em retaliação a disparos transfronteiriças.
De acordo com Nihat Ali Ozcan, membro da Fundação de Pesquisa Política e Econômica em Ankara, É improvável que uma grande incursão terrestre na Síria, coloque tropas da coalizão sob fogo russo, mas o risco de um confronto "acidental" está aumentando.

Para Erdogan, duas ameaças irão se desdobrar em um curto período de tempo.

Uma seria o avanço curdo apoiado pela Rússia que poderia cortar o fornecimento de suprimentos para os grupos rebeldes na qual a Turquia tem sido apoiado por anos, aumentando a chance de Assad recapturar Aleppo e sobreviver no poder. 

Esse seria o mais recente golpe à política de Erdogan no Oriente Médio, uma região de importância econômica para a Turquia onde ele já perdeu aliados como Egito e Iraque.

A outro, será a longo prazo, na qual a Turquia acredita que ganhos territoriais para os curdos sírios, poderiam eventualmente levar a reivindicação um Estado próprio.

"Nós não vamos permitir a formação de um novo Mt. Qandil em nossa fronteira sul", disse Erdogan em um discurso televisionado na quarta-feira, em referência à sede PKK no Iraque. 

O PKK está em guerra com tropas turcas desde 1980 e é considerado um grupo terrorista pela Turquia, EUA e União Europeia.

A Turquia com certeza gostaria de participar de uma operação terrestre com os seus parceiros internacionais para acabar com a guerra síria, informou um funcionário turco em uma reunião em Istambul, na terça-feira.

Falando sob condição de anonimato, o funcionário descartou uma incursão unilateral pela Arábia Saudita, que fez uma oferta de enviar tropas para apoiar uma eventual incursão da Turquia.

Rússia

O diretor do Centro de Análise de Mundial de Comércio de Armas, em Moscou Igor Korotchenko, disse que a Rússia tem realizado exercícios militares na região do Mar Negro, em "um sinal claro para a Turquia não realizar uma provocação".

"Nós temos forças suficientes para trazer Erdogan de volta aos seus sentidos se a Turquia nos obriga a agir militarmente", disse Korotchenko.

A Rússia disse que pode atacar as tropas turcas se entrarem na Síria sem levar necessariamente a um confronto com a NATO.

O Primeiro-Ministro turco. Davutoglu, disse que as ações da Turquia na fronteira, são medidas defensivas com o objetivo de evitar uma guerra, Um dia antes, Davutoglu negou relatos de que tropas turcas teriam cruzado para a Síria.
Fonte: investmentwatchblog
Rússia adverte Turquia sobre ações na Síria. Reviewed by Conflitos Guerras on 20:31:00 Rating: 5
All Rights Reserved by Conflitos e Guerras © 2014 - 2016
Designed by SoSothemes

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.